Steelheart por Brandon Sanderson

Título: Steelheart
Autor: Brandon Sanderson
Editora: Delacorte Books for Young Readers
Data de Publicação: Setembro 2013
Páginas: 386

* A editora Novo Conceito aparentemente tem os direitos de publicação deste livro no Brasil, mas ainda não existe qualquer previsão de lançamento, essa resenha será feita a partir do livro publicado na sua língua original.

“Ten years ago, Calamity came. It was a burst in the sky that gave ordinary men and women extraordinary powers. The awed public started calling them Epics.

But Epics are no friend of man. With incredible gifts came the desire to rule. And to rule man you must crush his wills.

Nobody fights the Epics… nobody but the Reckoners. A shadowy group of ordinary humans, they spend their lives studying Epics, finding their weaknesses, and then assassinating them.

And David wants in. He wants Steelheart—the Epic who is said to be invincible. The Epic who killed David’s father. For years, like the Reckoners, David’s been studying, and planning—and he has something they need. Not an object, but an experience.

He’s seen Steelheart bleed. And he wants revenge.”


Acho que todos já sabem o quanto que eu sou apaixonada pelo trabalho do Brandon Sanderson à essa altura do campeonato, não é mesmo? Então nada mais do que esperado da minha parte para o iníco de 2015 como fazer uma maratona com Steelheart e Mitosis para começar a ler Firefight assim que o livro foi oficialmente lançado nos Estados Unidos. E como ele foi oficialmente a minha primeira leitura do ano, hoje decidi fazer ela aqui pra vocês.

Steelheart é totalmente diferente dos outros livros que eu já li do Sanderson, primeiramente por ser o seu único young adult – mesmo que muitas pessoas e editoras vendam Mistborn como YA, ele é uma fantasia adulta -, até onde eu tenho conhecimento, e outra coisa é que ele é um livro um pouco difícil de se categorizar em termos de gênero, ao mesmo tempo que ele  tem elementos distópicos e de ficção científica, pra mim ele é um livro anti-herói.

O livro começa com um pouco do passado do nosso personagem principal, David, vendo o não apenas o seu pai, como todas as pessoas que estavam dentro daquele banco, sendo mortas por Steelheart quando ele tinha apenas oito anos de idade, mas ele conseguiu ver Steelheart sangrar; e por causa deste evento, ele se tornou fascinado, digamos assim, pelos Épicos e estuda de uma forma quase que doentia todos os seus pontos fracos, com o principal objetivo de ter vingança de Steelheart e de todos os Épicos que vivem em Newcago.

Os Épicos são pessoas que receberam poderes especiais quando o Calamity chegou a dez anos atrás, só que ao invés deles se tornarem a esperança de uma nova sociedade sem violência, eles são corrompidos ao ponto de serem obcecadas pelo próprio poder, se tornando pessoas muito violentas que tentam se impor dentro de uma determinada cidade ou região, como se eles fossem os donos daquilo tudo e matam qualquer outro Épico ou pessoa que tente contrariá-lo. Por causa disto, a população morre de medo dos Épicos, tirando um grupo de pessoas chamado Reckoners, que tem como objetivo irem de forma oculta eliminando aos poucos todos os Épicos existentes, começando pelos mais fracos. E foi quando David acaba encontrando com o grupo de Newcago que a história deste livro começa de fato.

Uma das coisas que eu gostei bastante desse livro é a constante ligação das ações que estão ocorrendo ao longo da história com os estudos que o David fez ao longo de toda a sua vida, já que, como eu falei ali em cima, ele praticamente ficou obcecado pelo os Épicos e os estudava sempre que tinha um tempo livre, tudo isso para poder vingar a morte do seu pai. Sanderson não nos decepciona em hora alguma de nos mostrar esses e outros detalhes da trama, além de mostrar o desenvolvimento do personagem, o quanto que ele conseguiu evoluir como pessoa em um curtíssimo espaço de tempo, inclusive tendo dúvidas sobre se algumas de suas teorias são certas de fato ou não.

O livro é simplesmente viciante, você não consegue parar de ler! É elétrico, intenso e tem alguma coisa acontecendo a todo o momento, sem contar que ele tem uma pintada de humor que é muito comum nos livros do Sanderson que foi um dos poucos momentos que eu tive que parar de ler o livro, porque eu simplesmente não conseguia parar de rir nem por decreto! HAHAHAHAHA!

O livro terminou com um enorme plot twist que me fez ficar desesperada esperando pelo lançamento de Firefight, mesmo que eu tive que esperar apenas por quatro dias para poder tê-lo no meu kindle… Eu TIVE que ficar até dar meia noite nos EUA para poder começar a ler um pouco de Firefight na madrugada do dia seis porque eu não estava me aguentando mais. Então deu pra ver que eu realmente recomendo esse livro pra vocês, né? Agora tenho que aguentar a tortura de esperar mais um ano (ou mais) para o lançamento de Calamity, mas eu juro que vou tentar me aguentar….

Avaliação: 5/5 estrelas.

E vocês, o que acharam desse livro? Já leram? Tem interesse em ler? Deixe as suas opiniões nos comentários e vamos conversar!

assinatura

Advertisements

Resoluções de 2015: Brandon Sanderson e Patrick Ness

Olá pessoal, tudo bem? Espero que tenham gostado da resenha que eu postei aqui no blog mais cedo! 🙂

Dando continuidade à minhas resoluções literárias de 2015, venho aqui falar sobre mais um dos meus planos para esse ano em termos de literatura. É mais ou menos relacionado com a minha TBR, mas esse é um ponto específico dela: eu quero ler o máximo possível – se não todos – os livros publicados por dois autores incríveis que eu descobri nesse último ano, que são Patrick Ness e Brandon Sanderson.

A escrita de ambos são extremos opostos, mas o que ambos tem em comum são que são pessoas incríveis em criar universos e plots, independente do gênero que escrevem. Rapidamente eles se tornaram os meus autores favoritos e eu acho um absurdo que eu ainda não li todos os livros deles! Hahahaha

No caso do Brandon Sanderson eu já estou mais adiantada, até o momento que esse post vai para o ar eu já li 13 dos 25 livros que ele escreveu, tirando os livros da série Wheel of Time que ele terminou de escreveu pro Robert Jordan – que eu também pretendo ler, mas sei que não vou conseguir ler todos os 13 livros dessa série esse ano – e eu sei que ele tem previsão de lançar pelo menos mais dois livros ainda em 2015; maaaas quando se trata do Patrick Ness, eu li apenas 3 dos 9 publicados, e ele ainda tem previsão de lançar mais um livro esse ano, shameless me I know, mas eu sei que vou ser capaz de me adiantar esse ano, principalmente que eu estou trabalhando como freelancer e tenho muito tempo livre nas minhas mãos esse ano, ou seja, mais leituras!

E vocês, o que estão planejando de leituras para esse ano de 2015? Diz ai nos comentários e vamos conversar! ❤

assinatura

O presente do meu grande amor, organizado por Stephanie Perkins

Título: O presente do meu grande amor: doze histórias de natal
Organização: Stephanie Perkins
Autores: Stephanie Perkins, Rainbow Rowell, David Levithan, Gayle Forman, Myra McEntire, Matt de la Peña, Laini Taylor, Ally Carter, Holly Black, Jenny Han, Kelly Link e Kiersten White
Editora: Intrínseca
Data de Publicação: Novembro 2014
Páginas: 352

“Se você gosta do clima de fim de ano e tudo o que ele envolve, presentes, árvores enfeitadas, luzes pisca-pisca, beijo à meia-noite, vai se apaixonar pelo livro. Nestas doze histórias escritas por alguns dos mais populares autores da atualidade, há um pouco de tudo, não importa se você comemora o Natal, o Ano Novo, o Chanucá ou o solstício de inverno. Casais de formam, famílias se reencontram, seres mágicos surgem e desejos impossíveis se realizam. O pessimismo não tem lugar neste livro, afinal o Natal é época de esperança.”


Eu serei extremamente sincera com vocês nesse momento: Eu não gosto das festividades do final de ano, mesmo. Mas quando eu vi esse livro em vários vídeos de booktbers estrangeiros eu fiquei interessada por não ser exatamente histórias natalinas, mas apenas acontecem durante as festas de final de ano. Essas doze histórias foram escritas por alguns dos mais populares autores da atualidade – como Rainbow Rowell, David Levithan e Stephanie Perkins -, há um pouco de tudo. Casais de formam, famílias se reencontram, seres mágicos surgem e desejos impossíveis se realizam.

Eu terminei de ler esse livro bem antes do Natal, mas infelizmente não consegui escrever essa resenha para essa época porque eu simplesmente fiquei muito ocupada com os eventos de final de ano – família e tudo mais – que acabou que não tive muito tempo livre, e o que eu tinha eu procurava dar uma adiantada em outro livro que estava lendo que em breve terá uma resenha aqui.

Como esse livro é uma antologia, não faz muito sentido eu avaliar o livro como um todo nessa resenha, então tentarei falar brevemente a minha opinião em todas as histórias individualmente e depois vou falar a minha nota geral para esse livro.

Meias noites por Rainbow Rowell | ★★★★★

Essa é com certeza uma das minhas histórias favoritas, e foi um jeito perfeito de começar esse livro! Ela é uma história de um casal de amigos que conta como se conheceram em uma noite de reveillion, e assim continuam a mostrar os anos seguintes de sua amizade e até o momento quando isto deixou de ser isso para ser algo maior. É uma história que eu gostaria que fosse maior, e a escrita da Rainbow Rowell é extremamente viciante. Essa mulher sabe muito bem prender uma pessoa em um livro.

A dama e a raposa por Kelly Link | ★★★.5

É uma história que eu achei muito esquisita no começo, e era muito confusa também. Demorei um bocado para entender a relação da raposa que é mencionada ao longo de toda a história, mas depois que eu compreendi eu gostei bastante, mas infelizmente eu achei a personagem principal extremamente possesiva, e isso não é muito a minha praia de leitura.

Anjos na neve por Matt de la Peña | ★★★★★

Simplesmente me apaixonei com a extrema fofura desta história. É um dos contos mais próximos da realidade que tem e eu simplesmente não consegui parar de ler. O autor conseguiu desenvolver muito bem o personagem protagonista – que é um menino – dentro das vinte páginas que ele teve direito com direito a muitas pancadas de humor. Com certeza depois deste conto eu procurarei por mais trabalhos publicados dele.

Encontre-me na estrela do norte por Jenny Han | ★★.5

É a história que é mais baseada nas histórias natalinas que escutamos quando crianças, mas eu não consegui gostar dela de jeito nenhum. Achei tudo muito fraco de forma geral, e 20~30 páginas é muito pouco pra desenvolver uma história fantasiosa.

É um milagre de Yule, Charlie Brown por Stephanie Perkins | ★★★.5

Stephanie Perkins é uma das autoras YA favoritas de muitas pessoas que eu assisto no youtube e eu consigo entender perfeitamente o por quê, mas infelizmente esse conto não levou uma nota mais alta porque eu achei a personagem principal muito insegura e confusa, e isso é uma coisa em YA contemporâneos que infelizmente me irrita muito. A história é muito fofa e eu super recomendo para aqueles que são fãs do gênero.

Papai Noel por um dia por David Levithan | ★★★★

É o primeiro conto do Levithan que eu leio na minha vida, e eu gostei bastante! Também é o único conto LGBT que tem nesse livro, e foi feito muito bem! Ele dá um ponto de vista diferenciado da noite de Natal para uma família que sofreu um trauma por causa do mesmo, mas que ao mesmo tempo não quer deixar que a magia da festividade termine para um dos membros da família. É com certeza um dos contos que te faz pensar mais, mas eu gostaria que ele tivesse mais páginas, ele pelo tanto de páginas que tem foi muito pouco, na minha opinião.

Krampuslauf por Holly Black | ★★★

Se alguém sabe fazer fantasia de verdade é a Holly Black, mas, como no mesmo caso da Jenny Han, 20~30 páginas é muito pouco para desenvolver uma história. Mas eu adorei a mistura de elementos fantásticos junto com as festividades do ano novo. Quem diria que demônios e festas de reveillion combinariam, hein?

Que diabo você fez, Sophie Roth? por Gayle Forman | ★★★★

Eu gosto muito da capacidade da Gayle Forman de te cativar em um espaço tão curto de tempo, e nessa história não foi nem um pouco diferente. Ela conseguiu desenvolver muito bem os personagens dela e nos deixou praticamente íntimos deles enquanto eles contam suas histórias, seus passados e suas tradições. Você se sente ligado aos personagens quase que instantaneamente e sempre fica curioso para saber mais, mas infelizmente eu achei o romance entre os dois muito instalove, e isso é uma coisa que eu não gosto muito.

Baldes de cerveja e menino Jesus por Myra McEntire | ★★★

Esse vai ser o conto que tem mais elementos legítimos do Natal, como muitos amigos meus que eu tenho no Goodreads ou book bloggers que eu leio comentaram, mas pra mim ele foi um pouco clichê. Não posso negar que os personagens principais são bem interessantes e que eu gostei também do estilo de escrita da Myra McEntire.

Bem-Vindo a Christmas, California por Kiersten White | ★★.5

Esse é um conto que tem um pouco de tudo que as pessoas adoram em um livro contemporâneo: família, sarcasmo, um pouco de romance e muita comédia, mas eu realmente fiquei muito entediada com essa leitura. Não me levem a mal porque a escrita da Kiersten White é super interessante também, mas eu achei um contemporâneozinho normalzinho demais pro meu gosto, não senti feels momento algum e teve momentos da história que eu fiz uma leitura dinâmica mesmo porque não estava aguentando mais.

Estrela de Belém por Ally Carter | ★★.5

Eu achei bem interessante os personagens, mas eu não consegui me sentir conectada com a história momento algum, o que me deixou bastante entediada. Mesma coisa do conto anterior: Não senti nada durante a leitura e teve momentos da história que eu fiz uma leitura dinâmica mesmo porque não estava aguentando mais.

A Garota Que Despertou o Sonhador por Laini Taylor | ★★★.5

Esse conto me fez ficar com ainda mais vontade de ler a trilogia que a Laini Taylor escreveu que foi publicada aqui no Brasil pela Intrínseca, a Feita de Fumaça e Osso. Essa história foi bastante fascinante, na minha opinião! Eu gostei demais dos personagens e dos elementos fantásticos nessa história, além do fato que ela conseguiu desenvolver o universo muito bem para um número muito pequeo de páginas, e a escrita dela é sensacional! Mesmo não sendo muito natalina, eu recomendo totalmente!

Avaliação geral: 3.5/5 estrelas.

E vocês, o que acharam desse livro? Já leram? Tem interesse em ler? Deixe as suas opiniões nos comentários e vamos conversar!

assinatura

The Dragons of Dorcastle por Jack Campbell

Título: The Dragons of Dorcastle
Autor: Jack Campbell
Editora: Audible Studios on Brilliance Audio
Data de Publicação: Dezembro 2014
Duração: 11h e 27min

“The first audiobook in a thrilling new epic fantasy saga, written exclusively for Audible by Jack Campbell, the New York Timesbestselling author of The Lost Fleet series!

For centuries, the two Great Guilds have controlled the world of Dematr. The Mechanics and the Mages have been bitter rivals, agreeing only on the need to keep the world they rule from changing. But now a Storm approaches, one that could sweep away everything that humans have built. Only one person has any chance of uniting enough of the world behind her to stop the Storm, but the Great Guilds and many others will stop at nothing to defeat her.

Mari is a brilliant young Mechanic, just out of the Guild Halls where she has spent most of her life learning how to run the steam locomotives and other devices of her Guild. Alain is the youngest Mage ever to learn how to change the world he sees with the power of his mind. Each has been taught that the works of the other’s Guild are frauds. But when their caravan is destroyed, they begin to discover how much has been kept from them.

As they survive danger after danger, Alain discovers what Mari doesn’t know—that she was long ago prophesized as the only one who can save their world. When Mari reawakens emotions he had been taught to deny, Alain realizes he must sacrifice everything to save her. Mari, fighting her own feelings, discovers that only together can she and Alain hope to stay alive and overcome the Dragons of Dorcastle.”


Estava um dia navegando pelo Audible atrás de um novo audio livro pra escutar enquanto e eu vi um anúncio dessa série que vai ser reproduzida apenas em formato de audiobook e fiquei curiosa para saber mais da história depois dos reviews e de ouvir um sample do livro.

Esse livro é o primeiro de uma série de fantasia épica chamada The Pillars of Reality, que é baseada em um universo chamado Dematr, onde tem basicamente dois clãs rivais que comandam as cidades: os mecânicos, que são pessoas que se utilizam de máquinas e armamento para todas as suas atividades; e os magos, que acreditam que tudo seja fruto de uma ilusão, onde nada é verdadeiro e tudo pode ser manipulado de uma forma que é, basicamente, a força do pensamento, mudando aquela realidade. Mas agora, uma enorme tempestade está chegando para destruir tudo aquilo que foi construído pelos humanos, e apenas uma pessoa pode evitar esses eventos de acontecerem.

Nós temos o ponto de vista de dois personagens: Mari, que é uma jovem mestre mecânica que passou grande parte da sua vida estudando locomotivas e outros aparelhos para o seu clã; e Alain, um dos magos mais jovens a aprender como mudar o mundo que vê apenas pelo controle da mente. Ambos aprendem que os trabalhos do clã rival não passam de fraudes e, depois de terem a caravana onde estão destruída, eles começam a descobrir o quanto da verdade que é escondida deles. É um livro que tem um enorme potencial para ser uma série bem bacana, mas tiveram algumas coisas que me incomodaram nele.

Uma das primeiras coisas que eu reparei enquanto escutava esta história é que ambos os personagens sofrem com preconceitos por causa de seus comportamentos e pensamentos, sendo considerados imaturos por causa de sua idade – já que ambos os personagens tem 17 anos – e isso foi uma das coisas que mais me incomodou durante todo o livro, mas imagino que isso seja criado pelo autor justamente com essa intenção de apresentar esse preconceito que acontece nos dias atuais em uma literatura fantástica.

Muitas coisas do sistema dos clãs é explicado ao longo da história, mas eu fiquei muito confusa de acordo com os pensamentos dos mecânicos, já que nós aprendemos muito mais sobre os magos em si, quero ver como que vai ser isso ao longo dessa série. E eu também acho que a história se empurrou muito para chegar no ponto onde inclusive, leva o título desse livro, e teve uma resolução rápida demais.

Outra coisa que vale a pena mencionar é que se você não gosta de romance em livros desse gênero, eu não recomendo a leitura dessa série. Esse livro foi extremamente focado no romance frustrado dos dois personagens principais, que gostam de si, mas que por um lado (Mari) sabe que um romance entre pessoas de clãs diferentes não pode acontecer, e por outro (Alain), mal consegue se expressar em absolutamente nada.

De forma geral é uma leitura bem interessante, mas eu não sei se continuarei com essa série por causa dos problemas que eu falei anteriormente. Se você está a procura de uma fantasia com elementos steampunk que tenha romance, pode ser o livro pra você, mas pra mim foi tudo um pouco exagerado demais.

Avaliação: 3.5/5 estrelas.

E vocês, o que acharam desse livro? Já leram? Tem interesse em ler? Deixe as suas opiniões nos comentários e vamos conversar!

assinatura

Resoluções de 2015: #ProjectFiveBooks

Olá pessoal, tudo bem? Tá bom, eu sei que eu desapareci de novo, yada yada yada, mas enfim, agora eu voltei para falar um pouco sobre uma das resoluções de 2015, que é o #ProjectFiveBooks.

Todos nós que somos apaixonados por literatura passamos por um momento na nossa vida que nós queremos todos os livros a todo o momento, e se você é que nem eu, que ganha o próprio dinheirinho todo mês, as vezes acaba ocorrendo de comprarmos uma quantidade massiva de livros que, no final das contas, nunca lemos. Eu sei que muita gente gosta de ter muitas opções o tempo todo, mas agora eu cheguei a um ponto na minha biblioteca que eu simplesmente não tenho mais espaço para mais livros físicos, mas principalmente, eu quero também conseguir ter um controle maior sobre os meus gastos.

Como eu me conheço muito bem e sei que eu não seria capaz de entrar em totalmente um ban – porque convenhamos, livrarias são criaturas extremamente tentadoras -, eu vi alguns dos meus booktubers favoritos comentarem sobre esse #ProjectFiveBooks, o que eu achei mega interessante e decidi comentar a respeito com vocês:

O #ProjectFiveBooks é um projeto onde a premissa é muito simples: quando você lê cinco livros que você tem na sua coleção, você tem direito a comprar um novo livro. Isso além de diminuir a proporção na qual eu compro livros (a minha média era por volta de cinco livros por mês), vai me ajudar a definir uma forma de orçamento mais fixo para isso, que eu imagino em colocar por volta de até 100 reais por mês.

Eu não vou deixar de livros, é claro, mas o que eu quero mais com esse projeto é que eu leia mais os livros que eu já tenho, e compre livros apenas que eu tenho certeza que eu lerei imediatamente, não quero mais tantos livros parados sem ler aqui na minha casa!

Se for levar em consideração que ano passado eu consegui ler 112 livros, eu acho que esse ano vai ser bem tranquilo de conseguir manter essa meta, já que no final das contas eu ainda teria direito a comprar um ou dois livros novos por mês e ainda vou conseguir dimunuir a minha TBR por pelo menos a metade, o que é muito bom!

 E vocês, tem alguma resolução literária pra 2015? Se sim, deixe aqui nos comentários que eu adoraria conversar com vocês sobre elas! E um ótimo ano para todos nós! ❤

assinatura

O gênero na literatura: Ficção Científica

Olá pessoal, tudo bem?

Faz um tempo que eu tenho interesse de falar sobre os diferentes gêneros na literatura, mas não apenas como uma forma de ensinar específicamente como é um gênero X ou Y, mas uma forma de eu mesma conhecer os mesmos melhor. Eu de forma alguma sou uma expert em gêneros literários, mas tenho tanto interesse nesse assunto que comecei a cogitar estudar a respeito deles, e porquê não aproveitar e compartilhar com vocês?

Decidi começar essa série de postagens com um gênero que tenho explorado um pouco mais nos últimos meses, que é a ficção científica, muito conhecido por nós também como Sci-Fi. Ela como nós conhecemos atualmente foi desenvolvida no século XIX, que lida de maneira geral com o impacto da ciência sobre a sociedade. O termo é usado geralmente para definir qualquer obra fantasiosa que inclua o fator ciência como componente essencial.

A ficção científica só se tornou possível pela ascensão da ciência moderna, principalmente por causa da rápida evolução da astronomia, física, química e biologia. O desenvolvimento da mesma como gênero consciente de si próprio foi datado em 1926, quando Hugo Gernsback, que cunhou a palavra combinada scientifiction, fundou a revista Amazing Stories, dedicada exclusivamente a histórias de ficção científica.

Durante e após a Segunda Guerra Mundial. a popularidade do gênero aumentou gradativamente a um ponto que, inclusive, algumas obras de ficção científica se tornaram best-sellers. A crescente sofisticação intelectual do mesmo e a ênfase em assuntos psicológicos e sociais aumentaram de forma significativa o apelo da ficção científica junto do público leitor. Por causa disso, é comum se ver atualmente críticas séria ao gênero, além de estudos sérios sobre o mesmo dentro de instituições de ensino superior de várias partes do mundo, havendo especial interesse nas suas características literárias e na forma como ela se relaciona com a ciência e a sociedade.

Eu sei que eu posso ficar aqui eternamente falando sobre esse gênero, mas o post já está enorme do jeito que está atualmente, né? Então antes de eu deixar vocês por hoje, queria deixar aqui pra vocês algumas indicações, não apenas de livros que eu li no gênero, mas também de livros que fui indicada ao longo do tempo por muitos fãs, because sharing is caring!

FUNDACAO_1389466499B

Fundação, por Isaac Asimov: é um livro que muitas pessoas me dizem que é o pontapé inicial para o gênero. Sempre quando eu pedia indicações de livros Sci-Fi sempre me falavam das obras de Asimov, que eu pretendo ler – pelo menos essa trilogia – em breve!

“O Império Galático possui 12 mil anos. E possui pujança, grandeza e estabilidade. Ao menos em sua fachada. Mas ele está em pleno declínio, lento e gradual. E, no final, culminará com uma regressão violenta da sociedade e a conseqüente destruição do conhecimento. Preocupados com isso, um grupo de cientistas traça um plano pela preservação do conhecimento adquirido. Vencedor do prêmio Hugo, como a melhor série de FC de todos os tempos, este é o livro inicial da Trilogia da Fundação.”


NEUROMANCER_1228330964BNeuromancer, por William Gibson: é o meu livro favorito no gênero que eu li até então, simplesmente fiquei cativada pela história desde a sua primeira linha e não consegui largar. Eu já li toda a trilogia mas estou morrendo para ler ela novamente. Também ele tá dentro de uma categoria do Sci-Fi que eu gosto bastante, que é o Cyberpunk.

“Um hacker renegado, uma samurai das ruas, um fantasma de computador, um terrorista psíquico e um rastafari orbital num thriller sexy, violento e intrigante. De Tóquio a Istambul, das estações espaciais ao não-espaço da realidade virtual, o tenso jogo final da humanidade contra as Inteligências Artificiais…
Evoluindo de Blade Runner e antecipando Matrix, Neuromancer é o primeiro – e ainda hoje o mais famoso – livro de William Gibson. É considerado não só o romance que deu origem ao gênero cyberpunk, mas também o seu melhor representante.”


2001_UMA_ODISSEIA_NO_ESPACO_1384805642B2001: Uma Odisséia no Espaço, por Arthur C. Clarke: mesmo não tendo lido essa obra ainda – apenas vi o filme, podem começar a me julgar! – eu a considero também um clássico do gênero, então nada mais digno como colocar ele aqui neste post, né?

“No alvorecer da humanidade, a fome e os predadores já ameaçavam de extinção a incipiente espécie humana. Até que a chegada de um objeto impossível, além da compreensão das mentes limitadas do homem pré-histórico, prenunciasse o caminho da evolução. Milhões de anos depois, a descoberta de um enigmático monolito soterrado na Lua deixa os cientistas perplexos. Para investigar esse mistério, a Terra envia para o espaço uma nave tripulada por uma equipe altamente treinada, assistida por um computador autoconsciente. Do passado distante ao ano de 2001, da África a Júpiter, dos homens-macacos à inteligência artificial HAL 9000, penetre a visão de um futuro que poderia ter sido, uma sofisticada alegoria sobre a história do mundo idealizada pela mente brilhante de Arthur C. Clarke e imortalizada nas telas do cinema por Stanley Kubrick.”


Acho que é isso para falar de Sci-Fi por hoje. O que vocês acharam deste formato de postagem, gostaram? Deixem as suas opiniões nos comentários e vamos conversar!

assinatura

O Livro do Bem: Coisas para você fazer e deixar o seu dia mais feliz por Indiretas do Bem (Ariane Freitas e Jéssica Grecco)

Título: O Livro do Bem: Coisas para você fazer e deixar o seu dia mais feliz por Indiretas do Bem
Autor: Ariane Freitas e Jéssica Grecco
Editora: Gutenberg
Data de Publicação: Novembro 2014
Páginas: 224

“Este é um livro diferente, porque é sobre alguém muito especial: você. É um espaço para você fazer coisas que vão colocar um sorriso no seu rosto e deixar sua vida mais alegre e feliz. São pequenas e grandes atitudes que vão lembrar você que tudo sempre pode ser melhor e mais divertido se a gente der uma chance, e que cada segundo da vida vale a pena até quando a gente tende a não a acreditar muito.

Este é um livro sobre amor, felicidade e alegria de viver. Mas ele só vai acontecer completamente se você topar embarcar nessa loucura fazendo-o seu de verdade. Cada minuto que você dedicar a estas páginas farão com que este livro se torne mais completo e mais seu. Então vem! E fica aqui um convite: fotografe e publique tudo o que você fizer no seu Livro do Bem nas redes sociais com tag #livrodobem. Porque o que é do BEM merece ser compartilhado!”


O Livro do Bem é literalmente aquele livro cheio de amor que você simplesmente não consegue largar por nada desse mundo. Eu tenho acompanhado o trabalho das meninas desde o começo e sempre admirei muito o trabalho delas, ai quando foi anunciado depois da Bienal de São Paulo que sairia um livro publicado pela Gutenberg, eu fiquei extremamente animada!

Ele é um livro totalmente diferente do que eu já vi por aqui, porque ele é sobre alguém muito especial: você, o dono do livro. É um espaço para você fazer coisas que vão colocar um sorriso no seu rosto e deixar sua vida mais alegre e feliz. Ele é lotado de pequenas e grandes atitudes que vão lembrar você que tudo sempre pode ser melhor e mais divertido, e que cada segundo da vida vale a pena até quando a gente tende a nos pressionar constantemente com as coisas do nosso dia-a-dia – trabalho, escola/faculdade, trânsito, problemas familiares e afins.

IMG_1422

Este é um livro sobre amor, felicidade e alegria de viver. Mas ele só vai acontecer completamente se o leitor topar embarcar nessa loucura fazendo-o seu de verdade. Cada minuto que dedicado à suas páginas farão com que este livro se torne mais completo e mais seu, o que ao mesmo tempo que faz muitos lembrarem do Destrua este Diário – publicado ano passado pela Editora Intrínseca -, eu diria que ele é uma versão otimista e cheia de amor do mesmo, já que ele gradativamente te motiva a olhar as coisas positivas da sua vida de uma forma descontraída e divertida.

IMG_1421 IMG_1423

É um livro que eu recomendo para qualquer pessoa em qualquer idade, inclusive se tornando o presente perfeito para dar para alguém, já que você também estará compartilhando um pouco mais do amor que as meninas fazem questão de nos lembrar ao longo de toda a obra. Simplesmente adorei a proposta deste livro e estou totalmente animada em fazer agora todas as coisinhas deste livro e compartilhar com vocês e as pessoas usando a tag #livrodobem, e eu acho que você deveria fazer o mesmo!

Avaliação: 5/5 estrelas.

E vocês, o que acharam desse livro? Já leram? Tem interesse em ler? Deixe as suas opiniões nos comentários e vamos conversar!

assinatura